A internê roubou meu sono

19 10 2010

Bons tempos quando eu tinha um horário para dormir, que se eu o extrapolasse sofreria com a ira de minha querida avó (fui criado por avós, algum problema?).

Antes de dormir sentia o corpo pesado sobre o dia letivo e só queria saber de encostar a cabeça no travesseiro e sonhar em um dia pisar na lua.

Só que de acordo o tempo foi passando e a tecnologia cada vez mais acessível, fomos dando espaço para que ela tomasse conta de nossas vidas. Hoje você pode ser assaltado, atropelado e traido pela mulher no mesmo dia que ainda sim lembrará de atualizar o status do Orkut para ‘Solteiro(a)’. Não que isso não seja uma informação mencionável em uma página pessoal (afinal o negócio é pegar gatas rsrsrsrs).

Imaginem quando lançar o Iphone 4…

Não posso falar que é uma obsessão essa coisa por eletrônicos, mas posso afirmar com certeza é que eles são úteis querendo ou não. O que eu quero dizer é, eles podem tirar seu sono, mas algum dia você o agradecerá por isso.

Lembrei que o saudoso George Carlin (rip), já fez um texto em um de seus excelentes espetáculos sobre essa coisa que comprar coisas e mais coisas.

É um tipo de loop eterno de tech toys, lançou um modelo novo do seu velho Playstation, é esperar abaixar um pouco o preço e troca-lo imediatamente e assim com computadores (desktop), notebooks, netbooks, iPhone, iPad, PSP e diversos outros eletrônicos que dominam o mundo.

Me diga quantas vezes você não ficou até mais tarde na internet por simplesmente não conseguir sair? Eu, várias e várias vezes. Quando eu trabalhava era uma briga para ir dormir cedo, pois parecia que as abas do firefox me hipnotizavam.

É difícil controlar essa vontade de ficar na internet, saber todas as notícias do mundo em alguns poucos cliques e isso é realmente fantástico.

 

“Mas, infelizmente o tempo das bolinhas de gude não voltam mais.”








%d bloggers like this: